Algoritmos na seleção de candidatos à emprego: como funcionam e como saber disso pode te ajudar?

parede sendo projetada códigos de programação com uma mulher na frente

Em um mundo cada vez mais digitalizado, empresas tem adotado métodos para conseguir diminuir gastos e tempo perdido. Ferramentas que utilizam algoritmos para agilizar o processo são cada vez mais usados nos RH’s.

Processo seletivo é algo que toda empresa, independente de seu porte, lida com frequência. O fato de que muitas vezes, centenas de pessoas se candidatam para uma mesma vaga, torna muito difícil filtrar quem são as pessoas mais qualificadas. Ao mesmo tempo, se o processo demorar muito os candidatos tendem a desistir. É por esse motivo que os algoritmos entram em cena.

Ferramentas programadas para buscar determinadas palavras chaves e características necessárias para a vaga em questão, conhecidas como ATS (Applicant Tracking System, ou Sistema de Rastreamento de Candidatos).

tela com códigos de programação
Foto por Markus Spiske

Como funcionam os algoritmos?

Por definição, o algoritmo é um procedimento para resolver um problema matemático em um número finito de etapas que frequentemente envolve a repetição de uma operação.

Para simplificar, vamos imaginar um robô virtual que é capaz de aplicar em grande velocidade, dentro das regras programadas nele, uma tarefa que levaria muito mais tempo para ser finalizada por um humano. Se lembrando que se trata de uma inteligência artificial, o ”robô virtual” consegue se aprimorar de acordo com sua própria experiência. Podendo assim tomar decisões com base nos dados brutos que ele tem em sua base.

A indústria de recrutamento adotou a tendência. Vários algoritmos são usados ​​para recrutar candidatos para vagas em aberto e iremos discutir os mais comuns:

Algoritmo de busca

Esses são os algoritmos configurados para buscar por candidatos ideais. A empresa lista as habilidades que ela procura e o programa usa o algoritmo para analisar milhares de currículos no Linkedin, por exemplo. Através dessas palavras chaves pré programadas, já é feita a seleção dos candidatos que o RH busca. O que torna muito mais rápido contactar e partir para as próximas etapas de seleção.

Algoritmo de filtragem

A partir do momento que o máximo de currículos foi coletado (pelo algoritmo de busca ou pelo próprio RH), o programa começa o seu trabalho. Como o próprio nome já indica, ele faz uma filtragem inicial levando em conta a semântica, conseguindo ir mais a fundo e analisando de uma forma mais detalhada o currículo. Consequentemente eliminando mais uma porção de candidatos.

Limitações do algoritmo

De acordo com Hong Qu, pesquisador do Instituto Stanford de Inteligência Artificial Centrada no Humano, nos Estados Unidos. Em uma entrevista à BBC Mundo: “O que está sendo buscado é uma maior eficiência no processamento de dados”, porém o algoritmo contém limitações e falhas. Por ser um programa podem ser menos enviesados e ignorar informações como idade, sexo e raça. Hong Qu, diz: “a inteligência artificial também é enviesada porque os algoritmos são treinados para identificar padrões de sucesso que se repetem com o tempo. Os algoritmos amplificam os padrões do passado e nesse processo podem apresentar preconceitos de raça, gênero ou idade”.

Outra limitação que já foi comprovada por estudos como, “Trabalhadores Ocultos: Talentos Sem Uso”, da Escola de Negócios da Universidade Harvard, publicado em setembro de 2020. É que por conta da filtragem ser feita de forma superficial e com o intuito de reduzir o número de candidatos qualificados, milhões de pessoas que seriam completamente aptas para preencher as vagas em questão foram deixadas de fora.

Os algoritmos teriam também eliminado ou dado uma pontuação baixa à pessoas com espaços em branco no currículo, como por exemplo mulheres em período de gestação, ou pessoas em fases de mudanças de cidade. São fases da vida das pessoas que o algoritmo não leva em consideração, eliminando de forma injusta e sem levar em consideração o lado humano.

algoritmo: parede sendo projetada códigos de programação com uma mulher na frente
Foto por Unsplash

Como conseguir superar o algoritmo?

Desenvolvedores buscam atualizações e formas de aprimorar o algoritmo para se encaixar melhor a sociedade moderna. Mas você pode fazer alguns ajustes na hora de construir seu currículo que especialistas confirmam funcionar, são eles:

Foque nas palavras-chave

Como são programados inicialmente para encontrar os melhores currículos baseados em palavras-chave correspondentes a habilidades, experiência, performance e escolaridade. Ir além pode ser de grande ajuda, pois muitas vezes o que pode estar sendo procurado pela empresa seja algo mais específico.

O candidato conferindo o que a vaga exige, consegue localizar quais são essas palavras-chave e adaptar o seu currículo com termos apropriados para o cargo.

É importante lembrar que tudo esteja dentro do contexto e não esteja ali para que o algoritmo inicial os localize, caso contrário possivelmente será identificado em uma próxima etapa, consequentemente te prejudicando.

Seja especifico

Ser especifico pode facilitar a busca do algoritmo, citar exatamente o que você domina dentro da área ao invés de tornar superficial dizendo que tem experiência no cargo pode ser o diferencial para que o seu currículo seja encontrado.

Especialistas também recomendam que suas conquistas sejam evidenciadas e citadas de forma concreta. Por exemplo, ao invés de especificar apenas sua função na empresa anterior, torne ele mais palpável para o empregador. Ofereça os números que vc atingiu, quantas pessoas que liderou, o quão importante sua posição foi para a empresa.

Formato simples do currículo

Lembrando que se trata de uma programação que busca palavras-chave, tornar o currículo ilegível para o sistema vai fazer com que o algoritmo passe por você despercebido. Quanto mais simples, especifico e direto for o formato do seu CV, mais chances você tem de ser encontrado.

Evitar PDF e optar pelo Word é bastante recomendado.

Não incluir imagens,gráficos e tabelas. Afinal de contas, o intuito é ser um formato de fácil leitura e que evite qualquer distração. Você pode encontrar nesse link diversas dicas de como montar um bom currículo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *