Engenheiro de software: O que é necessário para exercer a profissão?

engenheiro de software: mulher de blusa verde sentada na frente de seu computador programando

Uma das profissões da área de TI que tem sido muito buscada no mercado de trabalho é o engenheiro de software. A relevância dessa área acontece devido ao fato de que quase tudo no mundo tecnológico atual precisa de uma engenharia por trás, exemplo disso é, o site que está lendo, o navegador de seu dispositivo e toda a infraestrutura deles. Cada aplicação dessas necessita de planejamento, testes, design, manutenção, instalação, programação, e é por isso que a engenharia de software é tão importante.

Neste artigo te explicaremos o que é um engenheiro de software, as funções que ele pode exercer e o que é necessário para se tornar um profissional na área!

engenheiro de software: mulher de blusa verde sentada na frente de seu computador programando
Foto por Unsplash

O que é Engenharia de software?

Dentre os diversos setores de tecnologia da informação, temos a engenharia de software destinado à construção de sistemas para computadores. Isso engloba, desenvolvimento, criação e manutenção desses projetos. Algumas das categorias abrangidas pelo setor são banco de dados, processo e qualidade de software e linguagem de programação.

O engenheiro de software tem como objetivo proporcionar um produto (um app, por exemplo) confiável e eficaz.

Quais áreas o engenheiro de software pode atuar?

Um engenheiro de software tem capacidade para atuar em diversas áreas que necessitem habilidades de TI, as principais são:

1- Desenvolvimento de softwares e aplicativos

O profissional pode atuar no processo de criação de programas de computador ou aplicações que desempenham múltiplas funções, de acordo com as necessidades do cliente.

Os processos de criação envolvem todas as etapas necessárias para que a produção seja concluída de forma que atenda o objetivo final. As etapas podem incluir incluir pesquisa, design, criação de protótipos, resolução de problemas, testagem, implementação e integração.

2- Gerenciamento de projetos

Nesta área o profissional tem como responsabilidades a aplicação de processos, métodos, habilidades para fazer com que determinado projeto chegue em seu objetivo final, dentro de um tempo e orçamento definidos previamente. Geralmente o engenheiro de software trabalha com a entrega de um projeto de tecnologia para uma empresa, gerenciando equipes e cuidando para que todas as etapas do projeto sejam cumpridas.

3- Arquitetura e design estrutural dos programas

A Infraestrutura é parte primordial de qualquer projeto. É através da definição de toda uma estrutura que dará as condições necessárias para que o engenheiro de software trabalhe na programação.

Desta forma, o engenheiro de software pode atuar na área de definição da arquitetura back-end, desenvolvendo soluções que auxiliarão as demais equipes a realizarem seu trabalho.

4- Realizando testes

Para que o produto chegue em seu estágio final nas mãos do cliente, é necessário que uma porção de testes seja feita para ter certeza que tudo funciona de acordo. O profissional pode atuar organizando e planejando esses testes, garantindo a funcionalidade desses programas.

O que é necessário para se tornar um engenheiro de software?

Em questão de formação acadêmica, existem dois cursos que dão conhecimentos necessários para a área: Engenharia de Software e Ciências da Computação. A graduação tem duração de 4 anos. Algumas das matérias que fazem parte da grade curricular são gestão de projetos, engenharia, gerenciamento de softwares e matemática.

Após a formação para ser contratado como engenheiro de software é necessário ter registro no Conselho de Engenharia e Agronomia (CREA). Além da graduação e o registro na CREA outras habilidades são de extrema importância para ter sucesso na área, linguagens de programação comuns no setor são importantes conhecimentos. São elas: Visual Basic, JavaScript, C++, C# e Python.

Ferramentas de Ambientes de Desenvolvimento Integrado (IDE, na sigla em inglês) também são bastante comuns durante o desenvolvimento de softwares. Além desses recursos, ferramentas de bibliotecas de código aberto e de teste ajudam nos processos.

É importante saber também que as comunicações dos projetos no dia a dia são em inglês, portanto tenha no mínimo suas habilidades de leitura e escrita no nível avançado.

Entretanto, como as habilidades de programação podem ser desenvolvidas antes do período de graduação, algumas empresas podem contratar um engenheiro de software que ainda não possui diploma. Algumas das empresas que recorrem a essas habilidades são:

engenheiro de software: mulher em frente a seu computador com inumeras telas codificando
Foto por Unsplash

Como funciona uma entrevista com foco em decodificação e algoritmo?

Durante o processo seletivo para uma vaga como engenheiro de software, chegará o momento que suas habilidades serão testadas para o cargo. O que é necessário saber para se dar bem na entrevista de emprego?

A entrevista pode abranger temas que vão desde questões de codificação, construção e desenvolvimento de algoritmos complexos e análise de suas características de desempenho até projeto de sistemas e princípios básicos da ciência da computação (tabelas hash, stacks, matrizes, etc.). Afinal de contas um pré requisito para um engenheiro de software são os fundamentos básicos da Ciência da Computação.

Na entrevista, as habilidades testadas do profissional podem ser:

  • Codificação: O profissional deve conhecer linguagens de programação como, C++, Java, Python, Go ou C. Conhecimentos que são necessários também são APIs, Design Orientado a Objetos e Programação, como testar seu código, bem como criar casos de canto e casos de edge para código.
  • Algoritmos: Espera-se que conheça a complexidade de um algoritmo e como você pode melhorá-lo/alterá-lo. Alguns dos algoritmos que podem ser requisitados na resolução de problemas, são Big-O (por exemplo, tempo de execução) e seja pronto para discutir algoritmos complexos como Dijkstra e A*.
  • Classificação: funções de classificação comuns e com que tipo de dados de entrada eles são eficiente ou não. É importante pensar nos meios de eficiência em termos de tempo de execução e espaço usado. Por exemplo, em casos excepcionais, a ordenação por inserção ou radix-sort são muito melhores do que o genérico Respostas QuickSort/MergeSort/HeapSort.
  • Estruturas de dados: Conheça o maior número de estruturas de dados possível. As mais utilizadas são, arrays, listas encadeadas, pilhas, filas, conjuntos de hash, mapas de hash, tabelas de hash, dicionário, árvores e árvores binárias, heaps e gráficos. Tenha conhecimento dos dados de estruturas de dentro para fora , e quais algoritmos tendem a acompanhar cada estrutura de dados.
  • Matemática: Algumas questões matemáticas podem ser feitas durante as entrevistas.
  • Graphs: Você deve conhecer os algoritmos básicos de travessia de grafos, busca em largura e busca em profundidade. Conheça sua complexidade computacional, sua tradeoffs e como implementá-los em código real. Considere se um problema pode ser aplicado com algoritmos de gráfico como distância, pesquisa, conectividade, detecção de ciclo, etc.
  • Recursão: Muitos problemas de codificação envolve pensar e codificar uma solução adequada. Através da recursão é possível encontrar soluções mais elegantes para problemas.

Alguns sites podem ser usados para praticar codificação. Como exemplos práticos deles estão:

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *